Páginas

terça-feira, 9 de fevereiro de 2010

MONOGAMIA EM SÉRIE OU POLIGAMIA


            Moro em Natal / RN desde dezembro de 1992. Esta cidade é uma das melhores do Brasil; para mim talvez a melhor. Aqui eu construí uma das partes mais significativa de minha vida. Aqui eu casei; aqui tive uma filha; daqui não quero sair. Aqui, provavelmente, chegarei a meio século de existência neste ano de 2010.
            O meu primeiro contato com a monogamia em série foi quando morava nas Alagoas. Lá eu soube de um colega que se casara pela segunda vez. Naquela época, não me passava pela cabeça, nem em sonho, que um dia eu também experimentaria tal fato. Lembro-me bem das críticas que o colega recebia por tal procedimento. Lembro também de justificativas que alguns davam para o que ele fez.
            De lá para cá, passei a encontrar amigos, conhecidos e desconhecidos que vivenciaram e vivenciam a monogamia em série. Passei também a conhecer amigas, conhecidas e desconhecidas com a mesma vivência. Sem contar que, desde os anos 80, a mídia televisiva e escrita fez retumbar a monogamia em série.
            Ontem, eu visitei um templo evangélico, a convite de um amigo, e o que vi lá? Encontrei dois amigos com suas esposas. Cada um com a sua, claro. Uma delas com sua barriga que mais parecia um desfile de 07 de setembro e a outra se preparando também para ter um filho.
            Enquanto se transcorria o culto, minha memória funcionou freneticamente. Vi aqueles amigos com a primeira esposa e filhos. Um deles eu visitei na sua própria casa. Lembrei-me também de outros e outros que, aqui em Natal, também estão na mesma condição deles. Alguns já na terceira ou quarta esposa. Conheço homens e mulheres evangélicos, católicos, etc., todos com esta vivência. E haja memória!
            Eu moro num lugar que considero fantástico. Vizinho ao condomínio em que moro, há duas criações de galináceos. Do meu kitnet, primeiro andar, eu vejo quase tudo nos dois ambientes vizinhos. O que mais me encanta são os animais: Galinhas, patos, guinés, gavião ripina (como é chamado popularmente, embora eu ache que deve ser "de rapina"; não sei; não pesquisei ainda sobre isso), saguíns, passarinhos, lagartixas, etc. É uma fartura da mãe natureza que me faz lembrar de quando morei em fazenda, no interior de Arcoverde / PE.
            Pois bem!
            Hoje, ao acordar, fiquei a olhar um galo rodeado de galinhas. As franguinhas a crescerem, já se preparando para o "matrimônio" com "seu" futuro "marido". Aquilo me fez rir muito. Lembrei de uma série de espécies da natureza que vive da mesma forma: macho com seu "harém". Daí a passar para a poligamia humana foi um passo curtíssimo. Na contemporaneidade, lá estão os árabes.
            Há muito tempo venho a refletir sobre estes assuntos. Já pesquisei bastante sobre isso. Mas não vou aqui discorrer sobre minhas pesquisas. Quero só ventilar uma tese que li a algum tempo, cujo teor era: "Monogamia em série é um sinônimo de poligamia". O tal autor (não lembro mais do endereço na Internet) defendia que a diferença entre monogamia em série e poligamia é que na primeira as esposas vêm uma de cada vez; ou seja, não convivem juntas com o esposo, pois cada esposa acontece quando a anterior já não convive mais com o marido. Na poligamia todas as esposas convivem ao mesmo tempo com o varão. Interpretei a tal tese como pertinente visto a diferença ser apenas quanto a uma ordem de acesso ao cônjuge, por parte das mulheres ou dos homens.
            Se pensarmos por este prisma, nosso país, cujas leis, costumes e usos incorporam o divórcio, convivência estável e concubinato, é poligâmico. A tradição cristã não conseguiu barrar tal prática nem mesmo entre os seus adeptos. Decorre disto que alguém é monogâmico apenas se, e somente se, casou uma única vez na vida. Do contrário, praticou monogamia em série e, pela tese daquele autor, seria polígamo, portanto.
            Mas está aqui esse assunto apenas para a reflexão. Não me cabe plantar estaca em um terreno tão pisado e revolvido quanto este.
            Se você tem algum parecer sobre o assunto, faça um comentário. Será muito bem-vindo.
            Se tiver oportunidade, escute Martinho da Vila, cantando "Mulheres"[1].
            Saúde nas suas relações conjugais.
Willians Moreira




[1] Mulheres
Já tive mulheres de todas as cores
De várias idades de muitos amores
Com umas até certo tempo fiquei
Pra outras apenas um pouco me dei

Já tive mulheres do tipo atrevida
Do tipo acanhada do tipo vivida
Casada carente, solteira feliz
Já tive donzela e até meretriz
Mulheres cabeças e desequilibradas
Mulheres confusas de guerra e de paz

Mas nenhuma delas me fez tão feliz como você me faz
Procurei em todas as mulheres a felicidade
Mas eu não encontrei e fiquei na saudade
Foi começando bem, mas tudo teve um fim

Você é o sol da minha vida a minha vontade
Você não é mentira você é verdade
É tudo o que um dia eu sonhei pra mim

3 comentários:

Igreja Batista Reformada em Caruaru disse...

Meio século, professor, meio século.
Não o reconheceria se o visse, depois de tanto tempo, mas não está tão velho assim, camarada.
Um forte abraço do seu aluno.

J.R.Ribeiro disse...

POLIGAMIA BÍBLICA

Casamento Plural nas Escrituras Sagradas
Depois de revelar os dez Mandamentos a Moisés, o Senhor YHWH (D’us) falou sobre o casamento plural. “Se um homem tomar uma segunda esposa, não diminuirá os direitos da primeira”. Êxodo 21:10.
O Senhor YHWH revelou a importância da equidade entre esposas e filhos dentro de um casamento plural. Deuteronômio 21:15-17. Abraão teve múltiplas esposas. Gênesis 16:1-11; “Assim tomou Sarai mulher de Abrão a Agar sua serva, e deu-a por esposa a Abrão seu marido”. Dt. 21:3. “E Abraão tomou outra mulher e o seu nome era Cetura”. Gênesis 25:1. “Mas aos filhos das concubinas (concubinas eram esposas que não habitavam na mesma casa com o marido e as demais esposas , “um homem levita tomou para si uma mulher CONCUBINA... e seu SOGRO, pai da moça, o deteve e ficou com ele três dias” Juízes 19:1 e 19:4) [portanto aos filhos das concubinas] que Abraão tinha, deu Abraão presentes, e vivendo ele ainda, despediu-os de seu filho Isaque”. Jacó teve múltiplas esposas. Gênesis 29:28 e 30:4-19. “E Gideão teve setenta filhos... porque tinha muitas mulheres. E sua concubina... lhe deu também um filho... Abimeleque” Juízes 8:30-31. O Senhor Jesus (Yahushua) afirmou que Abraão, Isaque e Jacó, estarão com Ele no Reino dos Céus. Mateus 8:11. Lucas 13:28. Observe que no Reino dos céus não entra impurezas morais, E o Senhor Jesus (Yahushua) disse que: “o Reino dos céus será semelhante a dez virgens que, saíram ao encontro do esposo” Mateus 25:1. (Estaria o Messias tomando uma impureza moral como metáfora e tipo de seu Reino celestial?) Davi teve múltiplas esposas... “Eu te dei as mulheres de teu Senhor em teu seio... se isto é pouco, mais te acrescentaria” disse o Eterno para Davi. IISamuel 12:8. Mas em seguida o Eterno o repreendeu por tomar Betsabá a mulher de Urias e depois enviá-lo para morrer em campo de batalha. Versículo 9. Ainda assim Davi foi chamado pelo Senhor YHWH, de “homem segundo meu coração” I Samuel 13:14 e Atos 13:22. Salomão praticou o casamento plural... E o Senhor condenou Salomão somente por seus casamentos com mulheres descrentes e idólatras. I Reis 11:1-6. Aquí vão alguns outros nomes de homens que praticaram o casamento plural na Bíblia: Lembrando que só no Antigo Testamento passam de quarenta: O Rei Abias teve quatorze esposas II Crônicas 13:21. O Sacerdote Jeoaiada teve duas esposas. II Crônicas 24:3. O profeta Isaias previu o casamento plural para o futuro... Isaias 4:1. O Apóstolo João teve pelo menos duas esposas. Compare II João 1 com o versículo 13. “ 1 - O ancião que era ele dedicava a carta a senhora eleita e a seus filhos... 13 – Saúdam-te os filhos de tua irmã, a eleita. Era tão comum a prática do casamento plural que aos bispos foi recomendado que tivessem uma só esposa. Isso na tradução vinda do grego. Tim. 3:2 Porém na tradução que vem diretamente do hebraico podemos ler: “...que o supervisor, (bispo) tenha ao menos uma esposa” (Restauração das Escrituras... Rabino Moshê Yoseph Koniuchowsky) Não há nenhum caso em toda a Bíblia Sagrada em que o Eterno tenha castigado um homem por ter mais de uma esposa. A prática do casamento plural nas Escrituras Sagradas é lícita, apropriada, pura, aprovada por D’us para seus discípulos. Não é adultério. Nem tão pouco é pecado. Acesse o site www.christianmarriage.com e use um tradutor on-line.

Willians Moreira disse...

Prezado J. R. Ribeiro,
Entendi sua contribuição como superlativamente pertinente.
Obrigado pela visita.